sexta-feira, 25 de maio de 2012

CRÔNICA:

Conceituar crônica é um tanto difícil, pois sempre corremos o risco de sermos incompletos. É mais fácil falarmos do papel do cronista. O ser cronista é um ser crítico, e, portanto, é aquele que observa o mundo a sua volta mas não se conforma com a realidade que vê. Sendo assim, coloca no seu texto todas as suas impressões e indagações possíveis, seja ela do cotidiano, da sociedade, da essência humana... Às vezes escreve de forma humorada, às vezes o seu humor não está dos melhores, e, a crônica sendo tão humana transcendo o seu Eu-lírico. Sim, porque crônica é isso aí, pode ser escrita em primeira ou terceira pessoa. Pode ser um caso imaginário ou uma informação colhida ou ainda uma experiência pessoal de seu autor. Nela impera a informalidade, e pode ser descritiva, narrativa, narrativo-descritiva; reflexiva, metalinguística, poética entre outras.
Abro neste espaço um concurso de crônicas para vocês, caros estudantes. Você pode postar sua crônica nos comentários, e após minha leitura, se você autorizar, posso publicar como texto no blog.

Abraços,

Professor Atanael Lemos Corrêa

16 comentários:

  1. Todo mundo já folheou um dicionário, seja na sua vida escolar para procurar se uma determinada palavra escrevia-se com um ou dois ”r”, ou para os amantes de um bom livro, saber o significado daquela palavra tão estupidamente complexa.

    Hoje estava eu, folheando o dicionário na lista da letra P, quando uma palavra tão conhecida e feia chamou-me a atenção. E então, subitamente me vi aqui, em frente a esse pedaço de papel e o desafio de escrever sobre um tema que confronta a todos nós: O preconceito.

    Segundo o tão conhecido Aurélio, preconceito é um conceito formado antecipadamente, uma ideia sem fundamento. Abaixei minha cabeça como quem consente e aceitei o desafio que a mim mesma fiz.
    É fato: Vivemos em uma ditadura quase que imperceptível mas mesmo assim não deve ser ignorada. Os ditadores, porém, são outros: Agora é a sociedade que determina que ser diferente do padrão que o senso comum rotula ”ideal” é errado, mesmo que de fato somos todos iguais independente de qualquer circunstancia. O preconceito virou doença contagiosa do tipo “Você tá com preconceito?” “Não, tomei preventivo”.

    Transformou-se em uma equação Matemática: Pegando três tipos de de cores de pele, somando o formato do corpo diferente do que se vê nas revistas e comerciais, a conta bancária, subtraindo o bom senso e multiplicando pela ignorância da sociedade tem-se o preconceito, palavra e atitude tão estupidas, que aliás, virou verbo. Todo e qualquer tipo de sujeito sofre e pratica o verbo preconceituar. Esse mal que cega, aprisiona a alma, a mente. Se procurassem a cura para essa doença, a resposta final da equação Matemática iriam abrir o dicionário na lista da letra A, buscar pela palavra “admitir” e colocá-la em prática. Por que a mudança começa na gente, olhando para dentro de nós e admitindo que somos preconceituosos sim, mas todos os dias lutamos contra isso.

    Sara Luiza Braga (EM-122)

    ResponderExcluir
  2. Pagar para quê?


    Poluição visual, acidente de carro, no mensalão, governo corrupto, ou não, salário em procuração. Procura-se emprego, clima ou tempo, Gugu ou Faustão? E a obra em andamento? Acorda, é ano de eleição.

    Somos nós quem nos acostumamos a rodear fatos que acontecem no dia-a-dia e que são transmitidos já manipulados pelos canais abertos de televisão, então, quem sabe o que é real ou não?

    Quem não quer dar espaço a máquina manipuladora que opte a um livro ou televisão a cabo. Mais pagar televisão a cabo para quê não é? Eu quero é ver o carnaval, a praça que ainda é nossa, o Brasil hexacampeão, e para isso ver a reforma do Morumbi, dai é só ligar a televisão que a gente se vê por aqui.


    (Beatriz Tomasi - EM 123)

    ResponderExcluir
  3. Título: A verdade as vezes dói.

    Minha prima havia chegado fazia uma hora, começamos a conversar.
    -Quanto tempo, não é mesmo Elaine?
    -Verdade minha querida, o tempo fez com que você ficasse bem gordinha.
    -Ora, como ousa dizer que estou gorda?
    -Pois bem, não era você que gostava de ouvir a verdade? Ai está, além de gorda, tornou-se uma consumista de primeira mão, que pelo o que sei, não liga para mais nada se não para sacolas completamente lotadas de produtos cujo contribuem para espalhar ainda mais o modelo do capitalismo e do consumismo hoje existentes no mundo.
    Diante disso, é possível perceber que dentre os maiores problemas do planeta, encontra-se o capitalismo, que por um lado é bom, pois afinal, todo mundo gosta de consumir, de comprar produtos de qualidade. Mas o problema começa a partir do momento em que esse consumo se torna demasiado. Ocorre portanto a exploração, onde os mais avantajados em termos econômicos acabam explorando os menos favorecidos.
    Contudo, fica difícil encontrar uma solução para esse problema. Já que mudar o sistema capitalista e implantar uma diferente forma de governo poderia ocasionar uma quebra na economia, uma gigantesca crise.Por outro lado, deixar do jeito que está, não seria em hipótese alguma a melhor solução.
    Portanto, seria ótimo encontrar um meio termo para esse problema. Onde o capitalismo pudesse ser empregado em sua melhor forma, para ao invés de destruir, colaborar com o crescimento e o avanço da civilização.

    Aluna: Bruna Nogueira Trizotti - Em 123

    ResponderExcluir
  4. Cultura massificada

    Sabe caro amigo, tenho saudades daquele tempo e que as crianças se contentavam com uma bola de futebol, um conjunto de pecas, subir em árvores ou pelo simples fato de brincar de esconde-esconde. Hoje em dia, cada vez com uma maior freqüência, os meios de comunicação lançam algo novo, seja um mero brinquedo ou um complexo sistema operacional
    Dias atrás estava no shopping tomando cappuccino com meu amigo, conversando sobre o fato que ocorrera ano passado envolvendo o assassinato de estudantes em uma escola no Rio de Janeiro quando de repente meu amigo avista uma pessoa com o novo iphone 4s e seu assunto rapidamente se volta para isto. Fiquei surpreso quando se levantou e por incrível que parece perguntou ao homem aonde comprar um. Para ele não importava o preço, queria saber onde achar um. Confesso que estou cansado de ligar a TV e ver apelos ao consumismo sobrepondo um produto a outro. O mais incrível é que vendem o que já possuímos, e nós, meros alienados da indústria cultural, fazemos com que economia do país e das multinacionais cresça e gerem grandes acumulo de capital. Enquanto nos contentamos com o já é “velho e ultrapassado” para estes, eles curtem o melhor da vida.

    ALuno: Gabriel Azevedo de Souza
    EM121

    ResponderExcluir
  5. Titulo: Recicle-se

    Eu já ouvia minha vó dizer “este mundo está perdido. Agora, confesso, sou eu que digo isto.
    Ver o noticiário mortes, assaltos, intolerância, passou a ser algo comum na sociedade. As pessoas tem esquecido o problemas que vivenciamos todos os dias, e se tornado parecidas com uma bamba prestes a explodir. A raiva e o ódio consomem as suas mentes.
    As mães não conseguem mais controlar os seus filhos, o desrespeito com os pais é cada vez mais evidente entre as famílias. E quando chegam na escola, agem da mesma forma com os professores, chegando a ser humilhados. Os pais estão mimando demais os seus filhos, dando tudo que eles querem, menos o respeito que deviam ter.
    Se já pequenos são muito levados, quem dirá quando crescerem. Irão furtar, estuprar ou xingar negros, gays e putas? Será que tem volta? Posso ter sido um pouco forte em minhas palavras, mas está é a realidade.
    Preconceito, intolerância, violência, desrespeito, egoísmo. Este mundo está perdido.

    Aluno: Everson Viana
    EM-121

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Titulo: Recicle-se

      Eu já ouvia minha vó dizer “este mundo está perdido. Agora, confesso, sou eu que digo isto.
      Ver o noticiário mortes, assaltos, intolerância, passou a ser algo comum na sociedade. As pessoas tem esquecido os problemas que vivenciamos todos os dias, e se tornado parecidas com uma bomba prestes a explodir. A raiva e o ódio consomem as suas mentes.
      As mães não conseguem mais controlar os seus filhos, o desrespeito com os pais é cada vez mais evidente entre as famílias. E quando chegam na escola, agem da mesma forma com os professores, chegando a ser humilhados. Os pais estão mimando demais os seus filhos, dando tudo que eles querem, menos o respeito que deviam ter.
      Se já pequenos são muito levados, quem dirá quando crescerem. Irão furtar, estuprar ou xingar negros, gays e putas? Será que tem volta? Posso ter sido um pouco forte em minhas palavras, mas está é a realidade.
      Preconceito, intolerância, violência, desrespeito, egoísmo. Este mundo está perdido.

      Aluno: Everson Viana
      EM-121
      ARRUMADO

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Ser jogador de futebol

    Muitos acham que ser jogador de futebol é só vida boa, só jogando bola e ganhando dinheiro, ao invés de trabalhar, você vai treinar, mas é claro que quando você chegar lá terá essa vida na mordomia, mas chegar lá significa concorrer com milhares de jovens que cresceram ouvindo que sua chance era de 1 em 1 milhão , e que tinham que acreditar nessa pequena chance , é preciso passar por muitas dificuldades ,quando você é jovem é que aparecem as piores delas , e na maioria das vezes você tem que ficar longe de sua família e vê-la somente algumas vezes ao ano. Tem que treinar muito, não pode errar, pois um erro pode ser fatal e todo trabalho será jogado no lixo. É muito desgaste físico, comendo mal, dormindo mal, perdendo estudo, e o pior é pensar que não vai conseguir, pois a cada dia o caminho fica estreito, uma hora alguém tem que desistir e não pode ser você, a luta é grande, todo mundo querendo o mesmo objetivo e sempre vai ter um melhor que o outro, mas nunca pode pensar em parar, tem que correr muito, até a última gota de suor virar sangue, tem que dar a vida e botar o coração na ponta da chuteira em cada jogo. Contudo é uma luta que traz recompensas enormes, a maior felicidade é encontrada dentro de campo, a sensação de um gol é impossível descrever em palavra, é uma sensação que dura poucos segundos, porem é a melhor, te da confiança, alegria e vontade de vencer. No mundo do futebol você não tem certeza do seu futuro, mas o importante é não desistir nunca, e apostar todas as suas fichas no que você mais gosta de fazer, porque é certo que se você conseguir você não vai se arrepender de nenhum suor que deixara cair dentro de campo.


    aluno:Lucas Furlanetto de Freitas
    EM:121

    ResponderExcluir
  8. Cansaço Inconveniente

    Há algumas semanas atrás. especificamente no meu aniversário, minha família e eu, juntamente com uma amiga minha, decidimos ir ao cinema para comemorar tal data. Todos, com exceção de meu pai, estávamos muito animados para assistir ao filme, que coincidentemente estreou no mesmo dia.
    Não que meu pai não goste de ir a cinema, ou que não tenha se interessado pelo enredo do filme, o problema era que o coitado tinha trabalhado o dia inteiro, e o que mais queria era comer algo, e ir para casa descansar. E o pior, a sessão que escolhemos era no último horário, ou seja, começava às 22h e iria terminar só lá pela meia-noite. Por mais que o discurso de meu pai dizendo que estava cansado tenha me comovido, eu ainda queria ir ao cinema. Estava esperando há meses para estrear esse filme, e poxa, era o meu aniversário, o meu dia. Meu pai teria outros 364 dias para descansar de noite.
    Assim que o vencemos, fomos para o shopping comprar nossos ingressos. Já não bastava meu pai resmungando, por mais que fosse de brincadeira, que deveríamos ir para casa, quando chegamos no shopping, o cinema estava lotado. A cidade inteira deveria estar ali, esperando para assistir ao mesmo filme que nós, mas milagrosamente conseguimos comprar nossas entradas. Entramos na sala de nossa sessão e logo o filme começou. Era um filme de ação ou até mesmo de aventura, em que o som alto do cinema quase ensurdecia-nos. Eu e minha amiga mal piscávamos, para não perder uma passagem se quer do filme, o que já não poderia ser dito de meu pai, que para minha surpresa, havia dormido.
    Não só havia dormido, como também estava roncando. Não tão alto como ele costuma a fazer, mas quem estava à seu redor, poderia ouvir certos ronquinhos. Acordava de vez em quando, assustado com os altos ruídos do filme, mas logo voltava a dormir. Não sei se me diverti mais com as cenas engraçadas do filme, ou vendo meu pai dormir e acordar o tempo todo na sala de cinema. E para completar, ao terminar a sessão, ele deixou seu comentário final: "Ah, até que as partes que eu consegui acompanhar eu gostei".

    Mariana Luiza Faria, EM122

    ResponderExcluir
  9. Rivalidades

    Já parou para pensar na rivalidade que existe entre os times?
    Não seria melhor se todos aceitassem a escolha de cada um?
    A rivalidade entre clubes de futebol é muito grande, muitos começam com: ‘’ seu time não é nada’’, ou até rebaixando-o.
    De uma simples discussão, pode virar até em mortes ou brigas. Esse é realmente o objetivo do esporte?
    O verdadeiro torcedor é aquele que não discute se ganha ou se perde, o verdadeiro torcedor é aquele que guarda para si a paixão do seu time. Se perder, ficamos tristes sim, mas é mais um motivo para continuar torcendo para que no futuro vire um campeão, afinal, não é seu time do coração?

    Kauê Klimesch Canuto EM122

    ResponderExcluir
  10. Consumo exagerado

    Esses dias eu e uns amigos estávamos comentando sobre vídeo-games, jogos e a cada palavra que saia de nossas bocas parecia que era ligada a todo momento a algum lançamento.
    É incrível como as empresas colocam coisas no mercado todo dia, fazendo que o desejo de consumo aumente cada vez mais, elas fazem que cada produto novo na vitrine seja um sonho a ser realizado, elas usam dos meios de comunicação para nos entupir de ofertas e nos "provocar".
    E o maior culpado de todo esse consumo sera que é mesmo das fabricantes e seus anúncios "pegajosos"? Ou será que somos nós mesmos, por não saber nos controlar?

    Lucas Machado Em121

    ResponderExcluir
  11. Festa e álcool

    As meninas se programam uma semana antes da festa, elas já sabem as roupas que irão usar o sapato e até que tipo de maquiagem irá satisfazê-la naquela noite, elas começam a se arrumar as cinco da tarde e terminam as nove da noite, já os garotos, começam as oito da noite e terminam de se arrumar dez minutos depois.
    O começo da festa é assim, maquiagem perfeita, cabelos perfeitos e todos bem arrumados, meninas falando mal do vestido da outra e rapazes planejando qual garota conquistar. Até ai está tudo bem, mas a beleza de tudo está dentro da festa, com o som no máximo, elas dançando e eles fingindo que sabem dançar algo, todos com um copo na mão que estará cheio de alguma bebida que muda o pensamento da pessoa, fazendo com que aquela garota "magra" vire linda e a cafona fique irresistível.
    Mais tarde elas estarão em algum canto do banheiro vomitando com as amigas ao lado segurando seus cabelos. O cheiro de suor se exalta no ar, os cabelos começam a ficar emaranhados a maquiagem ficando totalmente borrada, os garotos começam a dar à famosa PT (perca total), as meninas começam a dar foras nos bêbados com suas cantadas pouco criativas, eles até tentam, mas acaba saindo algo como “gata, seu pai é padeiro? Porque você é um sonho”. Alguns partem para casa cedo, com certeza sendo carregado por algum amigo, já outros ficam até começarem a tocar mamonas assassinas.
    A manhã chega e com ela a dor de cabeça e a ressaca, fazendo com que todos os festeiros paguem pelos seus pecados da noite anterior, e que prometam algo que não iram cumprir! Que nunca mais irão beber.

    Ana Caroline Silva Em122

    ResponderExcluir
  12. Pré,durante e após viagem

    Acredito que toda escola tem viagem de estudos todo ano, pelo menos nas escolas que eu estudei tinha, é tudo programado meses antes, as inscrições e tudo mais. Até que chega o dia, e é sempre assim na manhã da viagem começam os sintomas, não se fala em outra coisa, fica todo mundo animado, feliz, ansioso, tem uns que nem ficam tãaaaaao animados, mas mesmo assim acabam entrando no clima da galera, tem gente que faz até contagem regressiva, como por exemplo, eu, que uma vez fiz uma gravação no celular comigo berrando “Rafa, faltam quatro horas!” desesperadamente.
    Alguns fazem a mala uma semana antes, com todo cuidado para não esquecer nada, outros não estão nem ai “aaah, é minha mãe que vai arrumar mesmo” dizem os mais largados, as meninas fazem até listinha com mil coisas pra levar e claro 99% é maquiagem, e no fim não acabam usando nem a metade, os meninos então, sou suspeita a falar, pois toda menina tem a impressão que guri é um bicho porco, desengonçado,guarda tudo jogado, não ta nem ai, mas é claro que existem exceções, não vi nenhuma ainda, mas não é possível que sejam todos iguais.
    Então você está á caminho da escola quando começa aquela papo “cri cri” de papai e mamãe que perguntam cem vezes se você está com o documento em mãos, e te dão mais cem recomendações sobre como se comportar longe de casa e dizem pra você fazer bom uso da educação que lhe foi dada, isso é normal, preocupação que os pais tem, bom, é claro que tem pais que não tem preocupação tem é desespero como se você fosse fazer uma viagem de um ano para o exterior.
    Bom, quando você chega ao local de partida é normal ir correndo pro ônibus, se juntar á seus amigos tals, seu pai mandando você ficar calma, mas você não está nervosa, só quer ir lá pra garantir um bom lugar e começar a bagunça. Não sei se o seu, mas meu pai sempre diz que o fundão do ônibus é perto do banheiro, lá estão os mais agitadores que vão soltando pum o que da aquela “maroca” segundo ele, não dormem e ainda vão a viagem inteira agitando, mas é essa combinação que os jovens querem, AGITAÇÃO!
    Ai o ônibus parte, tudo certo, e começa a viagem,todo mundo muito animado. No ônibus rola de tudo, baladinha, jogo de luzes improvisado, cantoria, foto, rola até trancar o mais agitador no banheiro para se vingar das vezes que ele te sacaneou, e assim vai correndo a viagem e quando você vê chaga rapidinho.
    Lá os dias passam voando e quando você se dá conta já está na hora de voltar pra casa, ai vem àquela coisa de “aaaai, já acabou” ou “ai, já estou com saudade” ou “meu como passou rápido, não quero ir pra casa” e aquela melaceira de sempre, mas ai, chega no ônibus,começa a agitação,você esquece e só curte a viagem de volta, e ai começa tudo de novo,baladinha,cantoria,foto,trancar o amigo no banheiro....e assim vai até o fim da viagem, quando você chega em casa “mortasso” e sua mãe diz aquela típica frase “separa o que é sujo pra mim lavar, o que limpo guarda,arruma tudo o que tu não usou no lugar e depois pode ir dormir” daí bate aquela vontade de....de....de...de arrumar tudo antes que coisa fique feia pro seu lado! E no fim do dia você deita na cama, lembra de tudo e torce pra que venham mais viagens como estas.

    Rafaela Gonçalves EM122

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Velentão ou não.

    Um homem baixinho e magrelo entra em um bar lotado, sabe no palco, pega o microfone na mão e diz para a plateia:
    -Tem alguma pessoal que tenha corregem de brigar esta noite?
    Logo em seguida, Gabriel se levanta. Era um homem de 1,98m de altura e uns 100 quilos de pura massa muscular. Ele sobe no palco devagar e chega bem perto do homenzinho, que consegue sentir seu hálito de cachaça. O Homenzinho olhou para a plateia que o olhava fixamente e disse:
    -Ok! Agora só precisamos achar mais uma pessoa valente para brigar com esse aqui.

    Bruno Martinelli - 123

    ResponderExcluir
  15. Para que serve
    Muitos têm seu melhores amigo junto a si para o resto da vida, alguns têm um amigo em toda vida e outros possuem vários mais não são os verdadeiros amigos. Pois bem. Nossos amigos podem ser chamados de vários nomes, amigão, maluco, mano, maninho, camarada, Brothers, cara ou simplesmente seus próprios nomes. No mundo eu que vivemos existem duas pessoas muito distintas uma das outras.
    O primeiro é o nosso amigo, o verdadeiro amigo, que eu esta lá sempre que precisamos e que te faz sorris mesmo quando esta de mau humor ou que levanta-nos até que fique de pé novamente, esse é o verdadeiro amigo. Agora temos o famoso colega, que é uma pessoa bem contrária ao nosso amigo, o verdadeiro. Esses colegas simplesmente te usam para não ficarem sós e quando arranjara encrenca, corre e deixa você ali sozinho para levar toda a culpa de seus atos. Quem você acha melhor para sua vida? O verdadeiro amigo, ou uma pessoa que você encontrou há poucos minutos em uma balada e falam que viraram grandes amigos para em seguida te deixar na mão como com certeza já fez com muitas outras pessoas! Agora é simples, olhe em sua volta e descubra quem é quem. Se já tem seus amigos muito bem. Se ainda não tem, ainda a tempo para procurar.

    EM 121 Lucas Hames Nürnberg.

    Obs.: Professor, me desculpe por estar postando minha crônica um dia depois do prazo. Tive alguns contra tempos em minha semana que acabaram ocupando ainda mais minha tempo. Espero que considere minha crônica. Mesmo não valendo a mesma nota dos outros. Agradeço a atenção.

    ResponderExcluir