domingo, 13 de fevereiro de 2011

Período Modernista - O Manifesto Futurista

3ª SÉRIE - LITERATURA

1ª POSTAGEM


Caros estudantes,

Trouxe para vocês o Manifesto Futurista, publicado pelo  italiano Tommaso Marinetti no jornal parisiense Le Figaro em 22 de fevereiro de 1909. O manifesto vinculava a arte à nova civilização técnica, combatendo com veemência o tradicional, propunha uma literatura baseada na exaltação da agressividade e da audácia e exaltava também a guerra e o militarismo, as fábricas e as máquinas, o nacionalismo e a discriminação da mulher. Por mais que isso pareça um tanto rude e retrógrado para o tempo em que vivemos, devemos lembrar que este homem viveu no período do Modernismo, e que este período foi marcado por grandes transformações na vida de quem o vivenciou, pois fez surgir uma série de manifestações humanas, sendo que algumas delas nem foram tão plausíveis assim. Leia com atenção o manifesto e atente para o que é pedido a vocês abaixo dele. Ah, deixo também um link para vocês assistirem um pouquinho do filme Tempos Modernos, de Charles Chaplin, e entenderem (ou rirem)  um pouquinho sobre a dinâmica da época.

 http://www.youtube.com/watch?v=XFXg7nEa7vQ

Abraços,

Atanael

Manifesto futurista

[F.T. Marinetti]
 
1.    Queremos cantar o amor do perigo, o hábito da energia e da temeridade.
2.    A coragem, a audácia, a rebelião, serão elementos essenciais da nossa poesia.
3.    Até hoje, a literatura exaltou a imobilidade pensativa, o êxtase e o sono. Nós queremos exaltar o movimento agressivo, a insónia febril, o passo de corrida, o salto mortal, a bofetada e o sopapo.
4.    Declaramos que a magnificência do mundo se enriqueceu de uma beleza nova: a beleza da velocidade. Um carro de corrida com a carroçaria enfeitada por grandes tubos de escape como serpentes de respiração explosiva… um carro tonitruante que parece correr entre a metralha é mais belo do que a Vitória de Samotrácia.
5.    Queremos cantar o homem que segura o volante, cuja haste ideal atravessa a Terra, lançada, por sua vez, em corrida no circuito da sua órbita.
6.    O poeta terá de se prodigar, com ardor, refulgência e prodigalidade, para aumentar o entusiástico fervor dos elementos primordiais.
7.    Não há beleza senão na luta. Nenhuma obra que não tenha um carácter agressivo pode ser considerada obra-prima. A poesia deve ser concebida como um violento assalto contra as forças ignotas, para reduzi-las a prostrar-se perante o homem.
8.    Estamos no promontório extremo dos séculos!… Porque deveremos olhar para detrás das costas se queremos arrombar as misteriosas portas do impossível? O Tempo e o Espaço morreram ontem. Nós vivemos já no absoluto, pois já criámos a eterna velocidade.
9.    Nós queremos glorificar a guerra, o militarismo, o patriotismo, o gesto destruidor dos libertários, as belas ideias por que se morre e o desprezo da mulher.
10.    Queremos destruir os museus, as bibliotecas, as academias de todo o tipo e combater o moralismo, o feminismo e todas as vilezas oportunistas ou utilitárias.
11.    Cantaremos as grandes multidões agitadas pelo trabalho, pelo prazer ou pela revolta; cantaremos o vibrante fervor nocturno dos arsenais e dos estaleiros incendiados por violentas luas eléctricas; as gulosas estações de caminho-de-ferro engolindo serpentes fumegantes; as fábricas suspensas das nuvens pelas fitas do seu fumo; as pontes que saltam como atletas por sobre a diabólica cutelaria dos rios ensolarados; os aventureiros navios a vapor que farejam o horizonte; as locomotivas de vasto peito, galgando os carris como grandes cavalos de ferro curvados por longos tubos e o deslizante voo dos aviões cujos motores drapejam ao vento como o aplauso de uma multidão entusiástica.

  • AGORA É A VEZ DE VOCÊS. EM RELAÇÃO A QUE ASSUNTO VOCÊS GOSTARIAM DE SE MANISFESTAREM? PENSEM A RESPEITO DAQUILO QUE LHES VEM INCOMODANDO NOS DIAS ATUAIS E FAÇAM O SEU MANIFESTO. DISCUTAM E CHEGUEM A UM CONSENSO. O MANIFESTO DEVE SER ELABORADO EM GRUPO POR NO MÁXIMO 4 ESTUDANTES E POSTADO AQUI A EXEMPLO DO QUE FIZ COM O DE MARINETTI.
Bom trabalho



28 comentários:

  1. 7. Não há beleza senão na luta. Nenhuma obra que não tenha um carácter agressivo pode ser considerada obra-prima. A poesia deve ser concebida como um violento assalto contra as forças ignotas, para reduzi-las a prostrar-se perante o homem.

    Quando li o ítem 7, imaginei o meu namorado recitando um poema escrito por ele, mas um poema cheio de AGRESSIVIDADE. Sinceramente, eu daria um pé na bunda no mesmo momento! hehe'
    Mas parando pra pensar melhor, cheguei à conclusão de que o texto nos quer passar a ideia de que um autor deve ter agressividade ao enfrentar os seus medos, as suas limitações, e não agressividade nas palavras escritas pelo mesmo.

    Vou deixar a discussão sobre o manifesto para compor com algumas colegas para, então, comentar aqui. Em breve estarei de volta, professor.

    Abraços,
    Maria Gabriela.

    ResponderExcluir
  2. É impressionante como a palavra poesia remete ao romantismo. Isso parece estar no imaginário das pessoas. É possível que esta questão venha de Aristóteles, quando ao falar do verdadeiro terreno que compete o poema, nos mostra que, para ele, a poesia compreende aspectos metafísicos (no sentido de sua imaterialidade) e da possibilidade de esses elementos transcenderem ao mundo sensível.
    Mas de fato isso não necessariamente deva ser a verdade.
    Acredito que isso seja uma das questões que o Manifesto Futurista queria levantar. Deixar de lado a estética tradicional em favor de uma mais autentica e condizente com a realidade da época.

    Podemos ver essa ruptura com a estética tradicional em outro movimento artístico do modernismo. Esse surgindo na década de 20 em Paris. O Surrealismo dizia que a arte deve se libertar das exigências da lógica e da razão e ir além da consciência cotidiana, buscando expressar o mundo do inconsciente e dos sonhos.

    Vou deixar o link de um filme surrealista de Luis Buñuel para quem não conhece e/ou tiver interesse: “Um Cão Andaluz” (1929)

    http://www.youtube.com/watch?v=YJCcLbtSD6o

    Ademais gostaria de fazer algumas observações sobre o manifesto:

    Achei muito legal que ele já incorporava elementos da teoria da Relatividade Restrita de Einstein publicada em 1905. Atentar para o item 8 onde manifesto nos diz que "O Tempo e o Espaço morreram ontem."

    Outro ponto é que quero comentar é sobre a contradição que o manifesto apresenta ao se dizer libertário e desprezar a mulher, ao ir contra o totalitarismo e não legitimar o feminismo.
    Duas correntes de filosofia política que estavam em evidência na época eram o Comunismo que em suas facetas mais cruéis tornou-se, na história, um verdadeiro socialismo totalitário e o Anarquismo que apesar nunca ter sido aplicado amplamente da prática sempre demonstrou sua vocação a exaltação da liberdade do homem e também, é claro, mulher. Tanto que sempre me pareceu estranho o termo Anarco-feminismo visto que a luta pela libertação feminina em todos os âmbitos da sociedade já está contida dentro do ideário anarquista.

    No mais, foi muito bom ler e refletir sobre este texto e o comentário e espero que os alunos aproveitem a oportunidade da mesma forma ou até que aproveitem mais.

    ResponderExcluir
  3. Letícia Danner da Costa, Maria Caroline Silva Nunes e Maria Luiza Ferreira - EM 1313 de março de 2011 12:57

    Humanos Displicentes
    1 - Pois então sofremos o furor do tempo. Somos coelhos eletrônicos, fugindo dos Whippets, numa tentativa de arranjar tempo, ou escapar dele. Escravos do tempo, oh tempo escravo, os minutos voam, os segundos se arrastam. Só quem sofre a gravidade é quem a desconhece, desconhece o que ela faz com o tempo que não temos.
    2- Tornamos-nos marionetes sem cordas, os "pínóquios" da nação. Sem andar sozinhos, manejados sem ideologias certas. Fingimos ser politicamente corretos admirando a margem do Cachoeira. Lindo Cachoeira, sujo e polúido, nós amamos o rio sem [aguas límpidas.
    3 - Rimos da pobreza, psamos em formigas sem remorsos. Ignoramos desastres naturais vendo televisão descalços. Damos trocados aos índios para ficarmos em paz. Em seguida tomamos mate gelado e os tempos por esquecidos.
    4- Sóbrios com um copo de uíque quase vazio nas mãos. Sem destino, seguimos uma rotina autoritária. Sendo levianos diante as regras, ficamos cegos sem amor. O amor quebra regras, o humano calça um sapato e pisa no amor. Depois ficamos descalços, é mais confortável.
    5- Arrotamos nossos ideais, dizendo-nos honestos quando estamos mentindo. Lutando por aquilo que não acreditamos. Somos cordiais e sorrimos para ratos. Beijamos os sapos mais verdes e ignoramos os que são pardos. Não percebemos o sol quando não há chuva. É tudo submisso a uma sociedade sem cor. Somos as vírgulas de um texto sem pontuação. Apreciamos a dor alheia, desejamos a dor alheia em reality shows. Cultivamos cultura, somos os inúteis da cultura. Pertecemos à sociedade inescrupulosa. Somos os inescrupulosos da nação, enfim.

    ResponderExcluir
  4. Estudantes:Vitor G.,Daniel L.,Renan F.,Bruno M.
    Turma:EM133
    Manifesto pelo Meio Ambiente

    1-Queremos o equilíbrio em nosso ambiente, e em nossa vida.
    2-Queremos um ambiente saudável, em harmonia com a natureza, com os animais, e por consequência com nós mesmos.
    3-Queremos que esse ambiente seja preservado como um bem comum a ser utilizado.
    4-Queremos uma sociedade ética e moral, que seja consciente e respeite o nosso ambiente.
    5-Queremos um ambiente que de os frutos do progresso e da evolução consciente.

    ResponderExcluir
  5. Manifesto à Maré Multicolorida

    1.Nós queremos paz aos homossexuais.
    2.Todos devem ter a chance de escolher, por livre e espontânea vontade, sua opção sexual.
    3.Tendo a sociedade até aqui formada imersa em preconceito, nós queremos exaltar o amor, a paixão e a felicidade.
    4.Nós declaramos o esplendor das cores do mundo, que embelezam arte de amar.
    5.Queremos combater o moralismo preconceituoso, sendo pelo prazer ou pela revolta.



    Alunas: Anna Flávia Bittencourt, Bruna Larissa Faust, Carla Regina Bilk, Mariana Aguiar de Freitas.
    Turma: EM131

    ResponderExcluir
  6. Manifesto pela tatuagem

    1-Queremos respeito e igualdade em nossa vida.
    2-Queremos poder exibir nossas tatuagens sem medo de retaliações.
    3-Queremos uma sociedade ética que respeite e as pessoas pelo que elas são e não por seus desenhos no corpo.
    4-Queremos que empresas não julguem somente pela aparência, que de igualdade na hora de contratar.
    5-Queremos um ambiente que de mostre que estamos no século 21 e no século 17 onde tatuagens significavam a marca do demônio.

    Estudantes:Jefferson M., Vanoir B., Rodrigo B.
    Turma:EM133

    ResponderExcluir
  7. Guilherme Tamanini, Lucas Schroeder, Luís Vinholi, Ulisses Júnior4 de março de 2011 17:06

    Manifesto Consumista

    1 – A globalização e as multinacionais estão homogeneizando a cultura mundial, criando uma enorme massa consumidora. Devemos consumir apenas o suficiente e manter a diversidade cultural que enriquece nosso planeta.

    2 – Nessa sociedade egocêntrica em que vivemos, nós, cidadãos, deixamo-nos possuir pelo espírito capitalista de acumulo de bens e capitais, e abandonamos nossos sentimentos e valores éticos no canto vazio do esquecimento.

    3 – Vivemos em uma sociedade hierárquica, causando um consumismo irracional e exagerado. Um tentando ser melhor que o outro.

    4 – O consumismo exagerado está acabando com os recursos naturais do nosso planeta. Devemos dar mais valor às coisas e reciclar tudo que for possível para termos um mundo mais sustentável.

    5 – Devemos parar de nos qualificar pelos bens que possuímos. As pessoas devem ser julgadas pelas atitudes e não por ter ou não uma televisão de última geração.

    Equipe: Guilherme Tamanini, Lucas Schroeder, Luís Vinholi, Ulisses Júnior.
    Turma: EM 133

    ResponderExcluir
  8. Manifesto pela desorganização!


    Para ser organizado, você deve investir recursos como tempo e
    dinheiro. De uma forma ou de outra, você gastará algo e,
    geralmente, esse algo é mais custoso do que a maioria das pessoas
    pensam. Ignoram o fato de que são necessários recursos e
    esforços para ser e manter-se organizado. Quando você se permite
    ser um pouco desorganizado, você recupera recursos, economiza
    tempo, dinheiro e libera pessoas que trabalham na sua empresa
    para se dedicar a outras atividades.
    Há benefícios oriundos da organização. Mas esses benefícios
    tendem a diminuir quanto maior o grau de organização, até o ponto
    que o benefício já não existe mais e se torna um problema. A
    maioria de nós conhece alguém que, de tão obcecado por
    organização, torna-se ineficiente,
    Pessoas desorganizadas são tratadas como ineficientes, incapazes de estabelecer prioridades ou encontrar o tempo para se organizar ou com dificuldade em encontrar coisas. Isso não é verdade. Na maioria dos casos, o oposto é verdadeiro. Grosso modo, pessoas desorganizadas são mais eficientes e perdem menos tempo com detalhes bobos.
    Ser uma pessoa criativa significa ser capaz de pensar de maneira nova, pensar
    sobre coisas inesperadas. A questão é onde encontrar idéias
    inesperadas. O ambiente caótico é mais estimulante. Ele possibilita
    mais conexões. O processo de buscar algo numa pilha de papéis é
    extremamente estimulante.

    Equipe: Eduardo Ferreira da Cruz / Thiago Willian Longolino
    Turma :EM 133

    ResponderExcluir
  9. Manifesto pelo Amor

    Pouco se fala do amor com uma base filosófica do ser humano. Muito se fala em livros, músicas, filmes, e através dos anos ele foi romantizado por esses meios.

    1 - Segundo Schopenhauer, o amor é paradoxal , serve tanto para o bem quanto para o mal. O "bem" se desenha através da idéia que o amor é o que impulsiona o homem para prorrogar sua existência, enquanto espécie. E o "mal" seria o amor em si, que é aquilo que causa constante sofrimento no homem, pois uma eterna busca leva a eternas frustrações.

    2 - Os pilares da sociedade ocidental atual vem de uma filosofia puramente racionalista, impulsionada pelo Discurso do Método Cartesiano, e, mais tarde, consolidado pelo Contrato Social. Todavia, vemos como a sociedade nos boicota enquanto seres humanos, reprimindo a sexualidade, subestimando a arte, deixando de lado o sentimento em si, e promovendo o tecnicismo, que se encaixa perfeitamente na sociedade capitalista, e também deriva da filosofia da "Solução de problemas".

    3 - Portanto, enquanto aquele que vive uma vida racional, abdica de suas ideias próprias (se é que o mesmo as tenha) para se encaixar numa sociedade tecnicista, e vive aquele amor que o cinema nos propõe: romantizado, idealizado, distante, ou seja, o homem "técnico" não forma para si uma filosofia através de sentimentos, ele apenas os vê como algo periférico aos seus ideiais. Por outro lado, aquele que baseia sua vida no amor, na arte, no desejo, na sexualidade humana em si, é boicotado pela sociedade e deixa de ser um "cidadão", é visto como um alienado, pois não se enquadra nos padrões morais da sociedade.

    4 - Derivado da sexualidade pura, do desejo e atração entre os humanos, em relações hetero ou homossexuais, o amor figura como uma essência do ser humano. E, contraditoriamente, o que há de mais natural no ser humano, é o que a sociedade moralista mais restringe.

    5 - Desenhou-se, portanto, um manifesto contra a sociedade racionalista, e, além disso, uma proposta de uma filosofia baseada em amor, aquele que provém da sexualidade do próprio bicho homem. Por que não pensar no ser humano enquanto uma espécie, sabendo que todos tem seus desejos carnais, e um pensamento baseado não só no racional, mas também no sentimental, seria o mais apropriado para que o ser humano se libertasse, seguindo aquilo que pensa por si próprio, fazendo o que realmente se interessa.

    Equipe: Matheus A. Sampaio/Lucas Molinari/Ernan Miguel/Charles

    EM 133

    ResponderExcluir
  10. Equipe: Ketlyn Raphaela, Laiana Raquel
    Turma: EM 133

    Corrupção no Brasil

    1. Segundo o ranking internacional o Brasil é o destaque em corrupção, com impunidade reinando não é difícil de imaginar que logo estaríamos no topo, à maior fatia da corrupção está no meio político. Há se nós brasileiros tivéssemos uma ação/reação igualmente ao povo do oriente médio, como exemplo o Egito.

    2. A falta de uma lei severa que venha punir com rigor, independente de classe social leva a pratica maior da corrupção.

    3. Não se tem noticias que um político foi para cadeia e nela cumpriu sua pena em função da prática de corrupção. Muito pelo contrario são aposentados com grandes salários.

    4. Não só a corrupção envolve grandes somas de dinheiro que polui o Brasil, mas há outros tipos de corrupção, por exemplo, a corrupção moral aquela que esta implícita nos nossos valores, no local de trabalho, nas escola, na diversidade, nos preconceitos.

    5. Só o povo brasileiro pode mudar este contexto, a cada ano a arrecadação de impostos são maiores e o retorno em forma de benefícios para o povo é menor.

    ResponderExcluir
  11. Grupo: Camila Kuroda, Isadora Bragantini e Rodrigo Cortes.
    Turma: EM133

    Manifesto sobre a perda de valores
    1. O mundo se move em alta velocidade, ele se transforma constantemente, contudo, esquecer de seu passado é como esquecer de quem você é. Não se deixe ser engolido pelas ondas de informação, expresse-se, mexa-se.

    2. Devemos nos expor sem vergonha de nos machucar. Como uma tartaruga recém-nascida, temos que lutar pela nossa sobrevivência – no caso, cultural -, pois senão, seremos apenas uma massa de modelar maleável e disponível.

    3. A globalização ajuda a economia de países subdesenvolvidos, mas os subordina à suas vontades; a cultura deles os pressiona contra eles mesmos, havendo um choque no psicológico do indivíduo. Precisamos ser fortes e combater contra essas idéias.

    4. Hoje, as coisas estão perdendo seu sentido original, e novos significados surgem. E as pessoas se esquecem de como tratar uma pessoa com respeito, com dignidade, como se não soubessem como. Por que elas acham que podem se considerar melhores do que outras?

    5. Vamos valorizar a nossa identidade nacional, nossa língua e nossa arte, mas ao mesmo tempo, nós conheceremos a cultura de outros povos para expandir nosso conhecimento e manifestação cultural.

    ResponderExcluir
  12. Grupo: Amanda Finsterbuch, Christian Karl, Lucas Rossetti. EM 132

    Guerra ao abandono!

    1. Nós queremos cantar a nossa indignação ao egoísmo e falta de humanismo;

    2. Queremos justiça contra os que despejam os animais como se fossem descartáveis;

    3. Até agora pouco foi falado, queremos que todos saibam o mal que eles causam;

    4. Não há coisa melhor do que a punição do injusto e do cruel;

    5. Somos também contra a falta de compaixão e covardia desenfreada ao ver a situação de abandono e não fazer nada, chamada assim de omissão;

    6. Que seja feito o mesmo com o agressor o que ele tenha feito com seu animal de estimação.

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. MARIA GABRIELA SOUZA DA SILVA
    EM134


    MANIFESTO COM RELAÇÃO ÀS RELIGIÕES

    01 - Queremos acabar com a hipocrisia nas igrejas. Que as pessoas não vejam as religiões como algo ultrapassado, mas sim como uma sabedoria de vida que se conhece há anos e que precisa, a cada dia, ser renovado com a nossa ajuda.

    02 - Que as pessoas não vejam o dízimo como uma forma de "se livrar das missas", como uma forma de "livrar suas almas". Que não vejam o dízimo como uma simples contribuição, ou como um tributo, imposto que é pago para entrar no céu. Que elas vejam o dízimo como uma retribuição por tudo o que recebem de Deus, até pelas coisas "não-compráveis", como a saúde, sua família, seus amigos...

    03 - Que os jovens não caiam na hipocrisia de buscar a igreja apenas para "encontrar um bom marido", ou pior, "encontrar um bom ficante". Que eles descubram o verdadeiro amor que Deus tem por todos nós e que eles frequentem mais as instituições religiosas, a fim de renovarem sua fé e até refletirem mais sobre seus atos, sobre como agir com as outras pessoas, sobre como agir diante de situações difíceis.

    04 – Que os “veteranos” das religiões dêem mais crédito a nós, jovens. Que eles deixem de ter a visão de que “os jovens são só baderneiros” e que acreditem realmente nos jovens que fazem todas as coisas com boas intenções. Afinal, não somos somente o futuro da igreja. Somos, também, o presente.

    05 – Que as pessoas não entrem para um convento ou seminário como forma de se livrar dos problemas pessoais e mundanos, mas que entrem com um desejo verdadeiro de levar e transmitir o amor de Deus e que levem a serio a vida religiosa.

    ResponderExcluir
  15. Dupla: Carolina Sato e Hisrael Anjo.
    Turma: EM131

    Manifesto contra o aumento e a má administração dos impostos:

    1 - Estamos a mercê, expostos às obrigações que nos são responsáveis desde o nascimento, responsabilidades que muitas vezes não são justas, não se transformam. É assim que nos sentimos ao pagar altos impostos, sem os devidos benefícios merecidos. Lutamos pelo aumento de investimentos, transformando nosso dinheiro suado em verdadeiros benefícios.

    2 - Não é justo que paguemos por algo sem saber os porquês do valor ou os verdadeiros processos passados durante a fabricação e venda. O equilíbrio das taxas de impostos e a informação sobre o produto, nós queremos e merecemos essas respostas!

    3 - A má distribuição dos investimentos, lembrando apenas de algumas regiões, é sem dúvida a maior das injustiças. Todos somos cidadãos e pagamos por direitos que cidadãos merecem, não é justa a cobrança igualitária existente, já que muitos dos benefícios se concentram em apenas algumas regiões. Temos consciência que muitas das regiões esquecidas, tem esse desprovimento econômico por interesse e safadesa política. Revoltando-nos e crescendo ainda mais a nossa luta pela melhor distribuição dos investimentos.

    4 - Nossa escolha política é como uma garantia de que teremos alguém para nos espelhar. Se nosso representante rouba, desvia, extravia o nosso dinheiro, os nossos futuros benefícios, cria uma nação com incertezas. Nação essa, que tem que lutar pelas certezas que ela já pagou mas que lhe foi roubado por alguém que ela confiou. Esses fatos que nos fazem lutar pela garantia que os impostos não vão ser desviados e que possamos confiar em nossos representantes.

    5 - É muito mais confiável para nós, cidadãos, que uma taxa fixa fosse imposta sobre todos os produtos importados, gerando assim uma melhor resolução do que estamos pagando. Mostrando também um maior respeito merecido para com o cliente, com o consumidor, para com o cidadão trabalhador.

    ResponderExcluir
  16. Alunas: Ana Carolina Baloni, Thais Elizabethe da Silva
    Turma: EM132

    Manisfesto contra a desigualdade social no Brasil

    1. O Brasil é um país que possui uma grande diversidade étnica e cultural, inexistente em qualquer outro lugar do mundo. Mas o que o torna extremamente rico quando se trata de cultura, também se torna um problema, visto que grande parte das pessoas não sabe lidar com as diferenças, achando que somente uma cultura é a certa, a delas. Isso faz com que tenham conflitos culturais e sociais em nosso país.

    2. É necessário que tal pensamento seja abolido de vez da nossa sociedade, pois ele só mostra que não sabemos nada sobre outras culturas, as quais, muitas vezes, não fazemos nem questão de conhecer. Abolir essas ideias proporcionará uma boa convivência entre todos, tornando nosso país um lugar muito melhor para se viver.


    3. Nossa luta é por um Brasil mais justo, onde todos tenham condições de vida decentes. Afinal, é inaceitável que enquanto existem brasileiros que possuem mansões e carros importados, existem outros que não tem dinheiro nem para comprar comida para alimentar seus filhos. Assim como existem jovens se formando em grandes faculdades, existem crianças que nunca tiveram a oportunidade de frequentar uma escola.

    4. Nossa luta é por um Brasil que saiba distribuir sua renda, para que assim todos possam ser privilegiados com uma boa educação e consequentemente, com melhores chances de crescimento na vida, podendo buscar um futuro melhor, podendo sustentar sua familiar e realizar seus sonhos.

    5. Mudanças só serão possíveis quando as pessoas superarem as diferenças, através do conhecimento e da educação e aceitarem que, na verdade, todos somos diferentes e que essa diferença é o que torna nosso país um lugar tão rico, tão maravilhoso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. gostei muito do seu manifesto isso mostra o quanto vcs teem importancia pelo o nosso país.

      Excluir
  17. Manifesto contra a violência no Brasil

    1. A violência vem aumentando desde a escravidão, com os índios, a mão de obra africana, a colonização mercantilista, antes e depois da independêcia, tudo isso somado a um estado caracterizado pelo autorismo burocrático.

    2. Muitos fatores colaboram para ela aumentar, principalmente a urbanização acelerada. são diversas aa formas de violência, tais como guerras, conflitos étnicos religiosos, conflito familiares. Pior que tudo isso é constatar que a violência existe com a convivência de grupos de policiais, representantes do Legislativo, inclusive de autoridades.

    3. A corrupção esta associada a violência, uma aumentando a outra, e suas causas estão relacionadas a problemas socias, como miséria fome, desemprego.

    4. Mas nem todos os tipos de criminalidade vem das condições econômicas. Ela pode ser caracterizada contra a criança, o idoso, violência sexual, psicológica, política, física, dentre outros. A repressão controlada e a polícia tem papel extremamente importante no controle da criminalidade, mais falta o apoio e a conciência da sociedade.

    5. Conforme o ex-secretário nacional de Segurança Pública, Luiz Eduardo Soares: " Temos de conceber, devulgar, defender e implantar uma política de segurança pública. A solução para questão da violência envolve vários setores da sociedade, não só com a segurança pública, mas também com a melhoria do sistema educacional, saúde, empregos, mudança nas políticas e participação maior da sociedade nas discussões e soluções desse problema de abrangência nacional.

    Alunos: Vanessa Borges, Bruna Rauber, Lucas Antunes. EM233

    ResponderExcluir
  18. Nickolas Alexandre14 de março de 2011 17:57

    Manifesto sobre tarifa de ônibus em Joinville

    1- Queriamos falar que isso é uma vergonha para a população de Joinville, não tem ônibus suficiente para a demanda de nossa cidade e os que circulam sempre estão muito cheios, tornando a revolta de todos.

    2- Sem dizer que aqui em Joinville é um monopólio o transporte público, pois só há duas empresas, que na verdade são praticamente uma só.

    3- Mas uns dos melhores exemplos para Joinville seguir é o transporte público de Curitiba, onde lá as coisas realmente funcionam, existem várias empresas e a tarifa é bem mais barata que aqui de Joinville, ônibus menos lotado e maior conforto a todos.

    4- Sem falar que é uma pouca vergonha dessas pessoas que se dizem governantes de uma cidade como Joinville, que tem a maior arrecadação e desenvolvimento do estado. Uma cidade como a nossa deveria ser bem melhor vista por fora, mas não é o que está acontecendo.

    5- Tanto que na eleição de nosso prefeito, ele havia prometido uma redução na tarifa do transporte público de Joinville, mas poucos meses depois ja veio um aumento bem significativo para nossos bolsos. E cada vez mais essa tarifa vem aumentando.

    Nickolas Alexandre
    Marlon Beckert
    Rafael Markieuvizi
    Ricardo Barauna
    EM-233

    ResponderExcluir
  19. Manifesto Opressionista

    Sussurram que eu deva acreditar que dom não existe, que para fazer algo eu preciso estudar e para ser melhor no que faço, preciso que outros me oficializem assim, não tenho mais poder sobre meus atos e me limitam por não ter um papel que diga o que sou.
    Dizem que devo entender a existência uma quarta pessoa, que o mundo e a vida podem ser analisados como se eu fosse onipresente, onipotente e onisciente e não sofresse tudo que sofri, dizem que senso crítico é importante e que posso me referir ao meu ar como se nunca tivesse respirado-o.
    Falam que devo falar o plural das palavras, não ter sotaque, esquecer gírias e vícios linguínsticos e que me “desoriginalize”, em compensação, enchem minha casa de frases, letras e marcas diferentes, alertando que eu preciso saber dialogar e escrever como eles, sendo que nem meu idioma eu sigo como sugerem que deveria.
    Alegam que para enriquecer e ter sucesso na vida, preciso me profissionalizar, que tenho que arriscar para poder ganhar muito dinheiro e muita felicidade, negam que o piar dos meus pássaros me faz feliz e empurram-me fones de ouvidos.
    Avisam que preciso mudar, ser outra pessoa, “evoluir” como e com o mundo, melhorar, ser competitivo, ter sangue frio, esquecer o que é família e compaixão.
    Gritam que eu devo preferir a inteligência e o caos à minha ingenuidade pacífica, que eu morra consumindo do que viva “varzeando”, que eu seja como eles, enquanto esquecem de pedir minha opinião, pensando que não tenho uma.
    Se me perguntassem eu diria que no lugar deles, faria o mesmo, do fundo de minha alma quero que ELES sejam como EU.

    Caio Henrique Amaro
    Luciano Terra das Neves
    Sadi Antonio Peruzzo Junior
    Randal Maia

    EM 131

    ResponderExcluir
  20. Ana Sara Signori, Pâmela Würz, Marcus Vinicius, Gabriel Steiner. EM 132

    Manifesto contra desigualdade social

    1- Almejamos por um futuro onde o mundo saiba respeitar e valorizar cada pessoa independente de sua classe social e econômica.
    2- Buscamos por direitos igualitários, onde cada cidadão possa ter as mesmas oportunidades, não desfavorecendo outros.
    3- Ousamos em querer a abolição da miséria e da fome no mundo, proporcionando o essencial a vida de cada ser humano.
    4- Desejamos que prevaleça o caráter das pessoas e não sua etnia e/ou religião, desfazendo os preconceitos criados pela sociedade.
    5- Acreditamos em comunidades mais dignas, no que diz respeito a valorização de seus membros.

    ResponderExcluir
  21. Manifesto Contra Touradas e Farra do Boi

    1. A tradição de Touradas e Farra do Boi é uma ação cruel dos seres humanos que matam um animal inocente apenas por diversão.

    2. Esse tipo de diversão cruel causa a morte lenta e gradual aos animais por animais travestidos de seres humanos, sentido prazer em provocar dor, brincam e se divertem violentando o corpo do animal.

    3. Mas nisso tudo são poucos os que querem conservar as tradições de uma boa cultura de costumes saudáveis que não prejudicam a ninguém e nem aos animais.

    4. O motivo mais raivoso é a multidão que conformada ou não, assiste ao espetáculo e recusam convites de cultos e festas saudáveis, mas participam desses eventos voluntariamente.

    5. Assim algo poderá ser mudado quando todos tiverem consciência e seguirem os preceitos de Deus do amor e cuidado aos animais. Portanto é necessário que as pessoas começem agir contra essa situação.Também é necessário que os praticantes busquem outra forma de tradição ou cultura saudável sem prejudicar os animais por diversão.

    Nomes: Gabriel Dantas,Guilherme Barbosa e Sergio
    EM 233

    ResponderExcluir
  22. Guilherme do Nascimento EM223
    Leandro F. Carvalho
    Adriel Weber
    Jackson

    Manifesto as cotas nas universidades

    1- Nós queremos acabar com a diferença entre os homens, onde a pele é apenas uma casca.
    2- Ousamos promover a igualdade humana onde todos temos a mesma capacidade para pensar e discutir.
    3- Queremos glorificar a greve, disputa pelos seus direitos onde se preciso, derrame sangue!
    4- Promovemos a disputa justa por uma vaga na universidade, onde depende da boa vontade e iniciativa de cada ser para estudar.
    5- Nós declaramos que a igualdade é fundamental para a concorrência justa.

    ResponderExcluir
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  24. 1 - O homem ocupa lugares indevidos, tirando espaço da flora e fauna, contribuindo ainda mais com a destruição do planeta.

    2 – A população humana está crescendo cada vez mais, consequentemente ocupando mais terreno no planeta Terra, muitas pessoas ocupam lugares indevidos, o que causa algumas tragédias. No Brasil, recentemente as enchentes e desmoronamentos são provas disso.

    3 - Com o crescimento da população é preciso de mais alimento , água e fontes de energia, e para isso temos sacrificado muitos de nossa espécie, enquantos outros vivem no luxo.

    4- É difícil conciliar crescimento com sustentabilidade, e com a pressa de crescermos temos esquecido que a nossa casa é a terra e que quem vai pagar por essa destruição somos nós mesmos.

    5 – O homo sapiens é um ser altamente evolutivo, mas nem sempre evolução é sinônimo de melhora, hoje em dia os seres humanos estão desmatando e poluindo o planeta aceleradamente, o que indica no futuro próximo, uma extinção da nossa espécie.

    Marcus V. Carolina, Gabriel A. Boettcher e Matheus Giovanella
    EM131

    ResponderExcluir
  25. Manifesto pelo Uniformismo

    1-Queremos um mundo mais igualitário, onde as pessoas deixem de lado diferenças de raça, religião, preferências políticas ou opção sexual e vivam em harmonia. Onde cada pessoa possa ser quem é sem medo de ser repreendida pelos outros.

    2-Desejamos que as opiniões preconcebidas deixem de existir e que se deixe de julgar os outros antes de conhecê-los. Antes de falar de uma pessoa, procure saber quem ela é e por que age como age, só assim terás uma opinião verdadeira sobre ela.

    3-Nós não temos o direito de julgar ninguém, e sim Deus. E se ele criou cada pessoa do jeito que é, temos que respeitar isso e aprender a conviver com todas as pessoas sem discriminá-las.

    4-Vamos tentar quebrar os padrões psicológicos impostos pela sociedade, onde a mulher está abaixo do homem; e o homem foi feito para ficar com a mulher, sendo que, qualquer coisa diferente disso causa repulsa na sociedade. Vamos fazer as pessoas se amarem como elas mesmas são.

    5-Somos pessoas espirituosas, com ousadia, sarcasmo e ironia, buscando por reformas sociais, liberdade sexual e de expressão. Somos pessoas curiosas e sedentas de informação. Buscamos conhecer o melhor de cada cultura, para que possamos assim, compreender melhor as diferenças em cada sociedade.

    Nathaly Lohmann Siqueira
    Amanda da Silva
    EM134
    15/03/11

    ResponderExcluir
  26. Estudantes: Jéssica Aline Flores
    Kalyta Morgana
    Turma: EM134

    Manifesto Apoio Aos Professores

    1- Não admitimos o desrespeito para com o professor, que vem sofrendo muito ao longos dos anos no mercado de trabalho.
    2- Lutamos pelo apoio ao professor e sua maior valorização tanto no mercado de trabalho como na sociedade, pois é ele que forma os profissionais do futuro.
    3- Queremos que o governo se manifeste em investir melhor na educação, incluindo o aumento salarial do professor.
    4- Não aceitamos que o Brasil, sendo um país consideravelmente desenvolvido, invista apenas 4,5% do seu capital na educação.
    5- Estamos dispostos a tudo para cumpreir nossas metas e objetivos do manifesto.
    6- É necessário que haja maior incentivo as pessoas a lecionar, pois ultimamente poucos os que querem lecionar, isso gerará uma decadência de professores no futuro.
    7-Exigimos que o professor seja valorizado não apenas por parte salarial, mas também que haja uma conscientização social de toda e qualquer parte de nosso país, para que todos tenha consciência de que o professor é o profissional mais importante em nossa sociedade e que sem eles o país todo se prejudicaria em todos os campos.
    8- Exigimos também um maior conforto tanto para os alunos como para os professores e também uma disponibilidade de equipamentos que preservam o bem estar e a saúde na escola, como ar condicionado,computadores e microfones para professores que podem ter sérios problemas vocais.
    9-Afirmamos que é nada mais justo que os professores de TODAS as escolas sejam pagos pelas horas gastas em casa fazendo planejamento de aula e corrigindo provas e trabalhos.
    10- Lutamos para que todos os professores recebam anualmente os materiais necessários para lecionar, sendo eles materiais essenciais(lápis,caneta,borracha,caderno) ,pastas,canetões de quadro, uniforme e inclusive um netbook.

    ResponderExcluir
  27. Alunos: Adriano Vicenti, Helton Custódio Hass da Silva – EM234.

    Sistema econômico e as pessoas

    1. A humanidade levou mil anos para se livrar da idade média, fugir das trevas e finalmente encontrar a luz. Hoje, muito tempo depois, estamos “livres” para pensar, falar, produzir, criticar, porém a grande maioria da população é manipulada a pensar de uma maneira, e ainda se sente, bem com isso. Estamos na prisão perfeita em que não existem muros.

    2. O proletariado constitui a maior parte da sociedade, são os que mais trabalham, pensam, produzem, porém também são os que mais sofrem com o sistema. Eles escolhem seus representantes na política, mas a corrupção e a ganância tornaram difícil esse processo. A falha está explicita no fato de houverem milionários ao mesmo tempo que miseráveis.

    3. Tenho um produto X, mas sonho com o produto Y que é tecnologicamente melhor e vai me oferecer muito mais funções, das quais quase sempre não preciso. O consumismo pode ser considerado o nosso principal vilão, ele abastece todo o sistema e logo vai ser o responsável por acabar com a própria terra, toda essa produção tem um custo, e este pode ser muito alto.

    4. O mundo anda no mesmo ritmo, a globalização tornou isso tudo possível, as teias envolvem todo o globo, e para cada lugar com sua importância específica é disseminada uma idéia, um modelo a ser seguido pela massa. Obviamente a mídia é a maior ferramenta para isso, planejada por grandes homens para de forma sublime, leve a moldar mentes.

    5. Queremos reinventar o sistema de uma maneira em que todos sejam beneficiados. É claro que nem todos estão a mercê do sistema, porém esses poucos são esmagados pela maioria. Está na hora do ser humano mostrar sua força e se libertar.

    6. Alguns historiadores e filósofos afirmam que a guerra é a única forma de mudança. Talvez o fim do sistema seja também o fim do mundo. Caminhamos para ele de ambas as formas.

    ResponderExcluir